Agosto 14, 2022

Strobe

Acompanhe as últimas notícias de Portugal no NewsNow: o balcão único para as notícias de Portugal.

Atualizações ao vivo: Rússia invade a Ucrânia

A Crimeia precisa ser reconhecida como uma região russa, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, na quarta-feira, comentando sobre a prontidão do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky para discutir o status da Crimeia e as regiões dominadas pelos separatistas no leste da Ucrânia, o autoproclamado Repúblicas Populares de Donetsk e Luhansk.

“Nossa posição é conhecida. A Crimeia é uma região russa e isso deve ser reconhecido de fato e de jure”, disse Peskov a jornalistas.

Peskov continuou dizendo que as repúblicas separatistas de Donetsk e Luhansk também precisam ser reconhecidas como “estados independentes soberanos”.

“Quanto às repúblicas da DPR e da LPR, são estados independentes soberanos e são reconhecidos pela Federação Russa. Isso também precisa ser reconhecido tanto de fato quanto de jure”, acrescentou.

Zelensky sinalizou em uma entrevista com David Muir, da ABC, na terça-feira, que está pronto para discutir o status da Crimeia e das Repúblicas Populares de Donetsk e Luhansk com o presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Questionado sobre as condições do Kremlin para acabar com a guerra, Zelensky disse: “primeiro, estou pronto para um diálogo”, segundo a tradução da ABC.

Muir perguntou: “Quando o Kremlin disser estas três condições para acabar com a guerra: que você deve desistir de ingressar na OTAN, reconhecer a Crimeia como parte da Rússia e reconhecer a independência dessas duas regiões separatistas e do leste a Vladimir Putin, que obterá esta mensagem sua. Você diz que não é inicial, não está disposto a essas três condições agora? ”

Zelensky respondeu:

“Estou falando de garantias de segurança. Acho que itens sobre territórios ocupados temporariamente e repúblicas não reconhecidas que não foram reconhecidas por ninguém além da Rússia, essas pseudo repúblicas, mas podemos discutir e encontrar um compromisso sobre como esses territórios continuarão. O que é importante para mim é como as pessoas e nesses territórios vão viver, que querem fazer parte da Ucrânia.”

“A questão é mais difícil do que simplesmente reconhecê-los. Este é outro ultimato e não estamos preparados para ultimatos. Mas nós temos a solução possível, a resolução, para esses três itens, itens-chave. O que precisa ser feito é que o presidente Putin pare de falar, inicie o diálogo, em vez de viver na bolha informacional sem oxigênio”, disse o presidente ucraniano.

READ  Yahoo sai da China